ASE na “V Marcha Nacional de Montanha”

 

Imagem3

Uma vez mais a ASE compareceu, em pequena escala é certo, na V Marcha Nacional de Montanha, organizada pelo Grupo de Montanha de Vila Real e inserida no calendário da Federação Portuguesa de Montanhismo e Escalada – FPME.

As caminhadas tiveram como cenário a serra do Marão, com um brinde primoroso para quem gosta de trilhar neve, que brindou os montanhistas durante os dois dias, deixando nos participantes a emoção que a paisagem, deixada pela neve que o vento esculpiu nos ramos das árvores e nas rochas em algo de bucólico que nos atrai às raízes, fazendo esquecer alguma chuva e nevoeiro que nos privou dos grandes horizontes do Marão, mas incapaz de nos abater o ânimo.

Parabéns aos companheiros do Grupo de Montanha de Vila Real pela organização e pelo gustativo jantar com que intervalou a actividade.

Parabéns!!

Imagem2

 

Convite

convite site


Programa

Dia 23 de Janeiro de 2015 (sexta-feira)

10h00 – Apresentação da proposta sobre Turismo de Montanha para a Serra da Estrela, seguida de debate.

11h30 – Pausa para café.

12h00 – Alternativas para a actual sistema de ligações viárias da região da Serra da Estrela.


O encontro terá lugar no Auditório do Centro Cívico da Câmara Municipal de Manteigas (Rua 1º de maio, junto à Câmara Municipal)

 

MONTIS – Associação para a Gestão e Conservação da Natureza

MONTIS

A Montis é uma nova associação de conservação da natureza que brevemente dará início ao seu processo de registo, logo que passe dos atuais 95 para os necessários 100 sócios. Informação sobre a associação pode ser obtida aqui: http://montisacn.blogspot.pt.

Lançámos recentemente uma campanha de crowdfunding (subscrição pública) para a compra de 5,5 hectares de carvalhal em regeneração. A campanha está sedeada na plataforma PPL e pode ser vista aqui: http://ppl.com.pt/pt/prj/sermos-donos-disto-tudo.
Nesse contexto vimos pedir a colaboração da vossa organização na divulgação da campanha e seus objectivos, pelos vossos associados.

Sabemos que a primeira beneficiária da campanha é a conservação da natureza e em segundo lugar a Montis.

Estamos também convencidos de que é todo o movimento ambientalista, em sentido lato, que pode beneficiar do êxito da campanha, ao demonstrar-se que uma pequena associação pode comprar terrenos apelando a pequenas contribuições das pessoas comuns, não dependendo de recursos externos ao país, ou de projetos que exigem estruturas técnicas complexas, para levar a cabo projetos concretos de conservação. Quebrar a desconfiança no êxito de projetos deste tipo parece-nos um enorme passo, para nós, Montis, mas também para todas as organizações interessadas nas questões ambientais.